UNIVERSO DAS COISINHAS

30.6.06

ISSO É UM IMBECIL!!!


Essa risadagem vai acabar! Revanche vem do francês.
*
Sorria! A Argentina vai voltar mais cedo pra casa.
*
Agora pouco, me juntei a uns 15 transeuntes que pararam de frente a uma pequena TV de uma barraquinha de ponto de ônibus pra ver os pênaltis no jogo dos nossos vizinhos contra os alemães. E a comemoração do resultado, que incluiu fogos de artifícios por todo o Cordeiro (que ainda estou ouvindo), só não está sendo maior porque não foi o Brasil quem despachou os hermanos abusados.
*
Quando o Fatnômeno deu o fora em Lula não estava dando um fora no Seu Zé da Esquina, era o Presidente da República, ora bexiga! A fama e o dinheiro, associada à esculhambação da política é tamanha, que um jogador de futebol se acha no direito "de tirar uma onda" com a cara da pessoa, a priori, mais importante da Nação. Comentando isso com Yellow, este fez uma análise óbvia, evidente, mas que ninguém, nem a imprensa, havia elaborado. Numa simples abordagem sócio-psicológica, explica-se que o salário do jogador, trilhões de vezes maior do que o do presidente, talvez tenha permitido a Ronaldo o passe para renovar aquela pergunta "Você sabe com quem estava falando?" para "Você sabe que quem está falando ganha muito mais do que você?". Tirando todo o complexo da questão, que envolve também as denúncias de corrupção no governo e no PT, aproveito pra lançar esse mesmo raciocínio yellowniano sobre o "caso Parreira". O técnico é o cara que menos ganha entre os protagonistas da Seleção. Então isso poderia explicar a teimosia em manter criaturas que não somente não estão rendendo, como estão atrapalhando e muito, como Cafu.
*
E, por falar neste, lembro de um episódio que aconteceu em 1998, quando, trabalhando num caderno de esporte local, fui escalada pra entrevistar o jogador, que encontrava-se de férias num hotel chiquérrimo daqui, durante a ressaca da Copa da França. Chego lá, espero um tempo até falar com o capitão. Inicialmente, seria uma entrevista exclusiva, na qual eu não poderia tocar no assunto "a amarelada de Ronaldo" (claro que eu toquei). Antes disso, no caminho até o hotel, vou conversando com o motorista sobre o mundial recém-acabado. Aí, o fotógrafo, que estava no banco de trás, dizia, "não vi jogo nenhum, não sei nem de quem vocês estão falando". E eu, descrente: "Que conversa, Fulano!". Esse fotógrafo tem a maior cara de Tiozão da Torcida, daqueles que enfartam até vendo treino de time. Pois bem, chegando ao hotel, nos avisam que Cafu estava na praia. Fomos lá. Da areia, ao lado de Regina ("Te amo, Reginaaa!!!"), avisto três jet-skis no mar. Num deles, estava o craque. Aproveito e sugiro ao tal fotógrafo, "Tira uma foto de Cafu no jet-ski". Aí, o cidadão ajeita a máquina, a lente, vai se aproximando da beira do mar no momento em que os três pilotos dos jet skis estão parando a brincadeira e voltando pra praia. Uma pequena multidão observava a estrela do futebol. O fotógrafo, então, aponta a câmera pra seu alvo, mas, de repente, olha pra trás e pergunta, em volume bem alto, pra mim: "Débora, quem é Cafu?!" Eu, sem saber onde enfiar a cara, respondo: "É o do meio!!!" Parecia mentira, mas ele realmente não tinha visto nenhum dos jogos da Seleção, não conhecia os jogadores, não gostava de futebol, apesar da cara de Tiozão da Torcida, e, muito menos, sabia quem era Cafu. Enfim, era uma pessoa feliz. Aproveito o momento e pergunto: Quem é Parreira?! Segundo meu sogro, aos gritos, "Isso é um imbecil!!!
*
P.S.: Aproveito e peço ao Barreira, pra botar logo no começo da partida deste sábado, o melhor jogador da França na atualidade, o nosso eterno rubro-negro.